Insetos versus obesidade

Insetos versus obesidade

Vocês viram o último relatório da Organização das Nações Unidas (ONU)? Segundo a entidade, referência mundial em direitos humanos, comer insetos pode ajudar a combater a obesidade. Interessante, não?

O estudo, feito Departamento Florestal –  órgão da ONU para a Alimentação e a Agricultura (FAO) – aponta que os insetos são tão nutritivos quanto carnes e outros alimentos. Sabe por quê? Porque neles há proteínas, minerais e gorduras saudáveis.

O relatório é uma alternativa no combate à obesidade. De acordo com a Organização Mundial de Saúde há 500 milhões de pessoas acima do peso no mundo. Já no Brasil, segundo dados do IBGE, há 17 milhões.

Nas Ásia e na África comer insetos é mais do que comum. Nessas regiões existem mais de 1,9 mil espécies. Lá, é possível comer gafanhoto crocante, cupins na manteiga e até bundinhas de formiga. E aí, pessoal, vocês comeriam insetos? Pois saibam que já existem pratos aqui no Brasil.

A formiga tanajura, por exemplo, é super comum em Minas Gerais e em algumas regiões do Nordeste.  Nós encontramos uma tabela, no portal G1, que aponta a quantidade de proteínas em alguns insetos. Veja abaixo:

Alimento Gramas de proteína (em cada 100 gramas do alimento cru)
Barata cinérea 60
Larva de mosca 50
Grilo preto 48
Larva de tenébrio 47
Tanajura 44,6
Larva do coquinho 33
Feijão 21,5
Carne de boi 20,2
Carne de frango 19,7
Carne de porco 18,5
Peixe 16,6
Arroz 7,2
Brócolis 3,3
Couve 1,4

 

Barata cinérea 60
Larva de mosca 50
Grilo preto 48
Larva de tenébrio 47
Tanajura 44,6
Larva do coquinho 33
Feijão 21,5
Carne de boi 20,2
Carne de frango 19,7
Carne de porco 18,5
Peixe 16,6
Arroz 7,2
Brócolis 3,3
Couve 1,4